01

B.R.M.R – Desastre 08 – Tokyo Magnitude 8.0: quando você precisa usar banheiros descartáveis.

Todos prontos pra enfrentar um terremoto que vai acabar com sua cidade e provavelmente com a sua vida também? Não? É claro que não. xD

Voltamos dessa vez com o anime que é possivelmente o melhor de 2009 (estou escrevendo isso levianamente, nem levei em conta os outros animes que saíram nesse ano então não me julguem)! Dessa vez fizemos um especial com a galera, aliás, vou contar a história pra vocês.

Uns bons meses atrás (realmente vários meses atrás, faz tempo pacas), juntamos algumas pessoas, entre staff, vips e amigos, e combinamos de assistir Tokyo Magnitude 8.0 todo, em um sábado só. Além dos brigadeiros tinham mais umas 5 pessoas, mas no final só três deles realmente assistiram o anime conosco… Bom, na verdade, também, quem combinou foi o Felipe e não era bem uma programação da Brigada, acabou virando depois, para aproveitar. 😀

Bom, assistimos todos ao anime, nos emocionamos juntos e chamamos eles para gravar conosco, por isso essa postagem é especial: temos convidados nos comentários e no mini-cast, que, inclusive, está divertidíssimo! E é por isso também que tudo relacionado a essa postagem já está preparado há tempos, acho que desde antes da quarta postagem, então vai ser um pouco diferente do comum, será que vai ser bom? HAHA/

Curtam a postagem, porque ela está repleta de comentários e mais comentários de várias pessoas, super informativa e explicativa como sempre, e, mini-cast apresentado pela Renatinha-zombie.

P.S.: No final da postagem tem avisos e notícias, leiam, por favor. =D

1

1. Enredo.

A história gira em torno dos irmãos Mirai e Yuuki que vão a uma exibição de robôs em Odaiba. Yuuki pede aos pais que vão com ele ver os robôs mas, os dois muito ocupados com seus respectivos trabalhos, convencem Mirai a ir, a irmã de 13 anos (ou ‘alien do celular’, como o Yuuki gosta de chamá-la), e ela concorda com muita relutância em acompanhá-lo até o local. Quando os dois estão pensando em voltar para casa um terremoto acontece, porém Yuuki, um garotinho de apenas 8 anos, e Mirai estão separados nesse momento. A partir daí é esperarmos para ver como os dois vão conseguir voltar para casa em Setagaya.

Existe no Japão um estudo que diz que as chances de ocorrer um terremoto de escala 7.0 pelos próximos 30 anos são maiores que 70%. Esse anime ilustra as consequências que um terremoto de escala 8.0 teria sobre a cidade de Tokyo. O estúdio Bones tentou ser o mais realista possível em relação às sequelas causadas pelo terremoto. Eles usaram as informações de pesquisas que foram feitas sobre terremotos anteriores e relatos de pessoas que os vivenciaram.

2

1.2. Enredo: releitura dos brigadeiros.

Mirai, uma garota mimada que não gosta de fazer nada da sua vida além de ficar olhando durante horas para o seu celular é obrigada a levar seu irmão mais novo, Yuuki, para uma exibição de robôs em Odaiba. Porém, após uma cena clichê, onde Yuuki precisa ir ao banheiro, um terremoto acontece e a desgraça se abate sobre todos. Agora Mirai e Yuuki vão contar com a ajuda de uma mulher estranha tão perdida no meio da desgraça quando eles para tentar voltar para sua casa em Setagaya.

3

2. Informações Técnicas.

Gêneros: drama, disastre, tragédia, terremoto, aventura.
Demografia: shounen-shoujo.
Obra original: Anime.

Tokyo Magnitude 8.0 é um anime original produzido pelo estúdio Bones em julho de 2009; ele conta a história de um terremoto desastroso que supostamente aconteceria em 2012 na cidade de Tokyo.

O anime contem apenas um corner, o equivalente a 11 episódios, e foi exibido na temporada de verão do Japão, entre 10 de julho e 18 de setembro. Por ser uma obra original a demografia é incerta: o público alvo é entre 12 e 16 anos, mas não é específico para meninos ou meninas.

Quem eram os personagens principais de Tokyo Magnitude 8.0?

  • 1
  • 2
  • 3

Mirai

Onozawa Mirai.

Yuuki

Onozawa Yuuki.

Kusakabe Mari

Kusakabe Mari.

Produtores do Anime: Bones, Dentsu, Fuji TV, Toho Company, Kinema Citrus, Maiden JapanL, Asmik Ace Entertainment, Sony Music Entertainment, Sakura Create.
Diretor: Tachibana Masaki.
Diretores de Animação: Takahashi Akira, Hasebe Atsushi.
Diretores de Audio: Tanaka Kazuya, Otani Kow.
Diretora de ADR: Williams Janice.
Roteiristas: Takahashi Natsuko, Murata Kazuya.
Storyboard: Yamamoto Hideyo, Nomura Kazuya.
Animadores: Kutsuna Kenichi, Okado Chikai, Matsuda Soichiro, Ishida Keiichi, Arakawa Masatsugu, Abe Misao, Umetsu Yasuomi, Kaneko Yuuji, Otani Natsuyo.
Dubladores:

  • Onozawa Mirai (Sumida Kanae); dublou a Sumida Kanae de “Byousoku 5cm”.
  • Onozawa Yuuki (Kobayashi Yumiko); dublou o Black Star de “Soul Eater”.
  • Kusakabe Mari (Kaida Yuko); dublou a Kido Tsubomi de “Mekakucity Actors”.

Para mais informações sobre esses e outros personagens de Tokyo Magnitude 8.0 cliquem no link do My Anime Listhttp://myanimelist.net/anime/6211/Tokyo_Magnitude_8.0/characters.

3. Aberturas e encerramentos.

  • 1
  • 2
  • Abertura: Kimi no Uta – Abingdon Boys School.

  • Encerramento: M/elody – Shion Tsuji.

4. Opiniões da Brigada: Renatinha, Magno, Raito e Felipe. [SPOILERS]

Comentário do Raito

Comentário do Raito

Member 001 – Raito

Confesso que não sabia o que esperar quando começamos a ver TM 8.0. Sempre tinha ouvido falar que esse era um anime com um ar bem pesado devido ao tema ser sobre desastres e, realmente foi isso.

Apesar de serem somente 11 episódios, Tokyo Magnitude 8.0 é um anime difícil de assistir de uma vez só (acredite, a gente fez isso), justamente por esse clima que te joga pra baixo a todo o momento. Somado a isso o começo do anime é bem arrastado pra não dizer chato, principalmente por culpa da personagem principal que é uma menina mimada que só pensa no próprio umbigo.

Se conseguir suportar esse início as coisas melhoram um pouco, conforme vemos que os personagens vão tendo um crescimento, mesmo que pouco, diante de toda aquela situação.

Enfim, recomendo que vejam TM 8.0 em doses homeopáticas, uns dois ou três episódios por dia no máximo para que não acabem dropando o anime.

Ah sim, destaque fica pra trilha sonora que além de soundtracks que combinam bem com o clima do anime, contam também com a excelente banda Abingdon Boys School.

E é isso!

Itekimasu!

Comentário do Magno

Comentário do Magno

Member 002 – Magno

Alguém ainda lê isso?

TM8 é um anime sobre realidade, pessoas e uma catástrofe.

Foi a primeira vez que eu assisti TM8, eu não sabia nada sobre ele quando decidimos assistí-lo.

Há vários detalhes interessantes, desde problemas psicológicos e traumas causados pela catástrofe até pequenas histórias dos personagens secundários e o que eles passaram depois do terremoto, as vezes é só uma informação no final do episódio ou um “mini-arco” que dura 1 episódio. Todos esses pequenos detalhes mais a história dos “personagens principais” cria um senso de realidade absurdo. Diferentes pessoas reagirão de diferentes maneiras, talvez você fique meio deprimido (afinal é um anime sobre uma tragédia) ou você se emocione com o que acontece com os personagens…, mas no final das contas é sobre realidade, é uma situação que pode acontecer. Imagino que para os japoneses foi uma experiência muito mais forte, vendo lugares que eles conhecem serem destruídos pelo terremoto e o que aconteceria com as pessoas que estavam nesses lugares.

Assistir TM8 é uma experiência incrível, mas deve ser feito com cautela.

Comentário da Renatinha

Comentário da Renatinha

Member 003 – Renatinha

Não sei porque isso acontece mas, eu escrevo a postagem toda (não todas as vezes, mas, né), 4~5 tópicos gigantes porque sim, formato a parada toda (as vezes revezo com o Magno), fico horas debruçada nesse trabalho: sem levantar da frente do computador, sem mudar a aba do navegador, sem sair de dentro do editor do wordpress! Aí, quando eu preciso escrever meu comentário, fico horas perdida pelos sites e escutando altas músicas aleatórias e até esqueço como foi o anime… O que fazer?

Não, mentira, isso não acontece. xD Só um pouco.

Enfim, acho que os meninos e o resto da postagem já disseram bem como o anime é no geral, o clima e o rítimo então eu vou focar onde eu costumo mesmo focar: como o anime fez eu me sentir.

De verdade, eu fiquei muito comovida com a história dos dois irmãos. Fiquei na expectativa sempre de saber como eles iam sair do meio daquela bagunda, se sobreviveriam e como fariam isso por conta do que tá acontecendo mesmo em volta deles. Se tem uma coisa que eu posso falar sobre eles dois é que eles são bem menos infantis do que eu consideraria o normal… mas acho que, se eles não fossem um pouquinho adultos como são não ia rolar história. Eles ficariam pra sempre sentados naqueles degráus lá chorando e berrando e chamando a mamãe eternamente… Não sei.

O suspense da história também me agrada muito. Você ficar naquela de “E aí? Ele morreu? Não morreu? O que diabos tá acontecendo!?” torna a experiência de assistir o anime mais interessante; e mesmo que todo mundo diga que o anime é bem lento eu discordo completamente. Das duas vezes que assisti foram todos os episódios seguidos e não fiquei pensando em nenhum momento que a história poderia ser um pouco mais rápida. Sem contar que, das duas vezes eu chorei no final.

Acho que é isso… Eu gostei bastante e recomendo muito. Porque é uma história super emocionante e mexe com você, sim; mas não só por isso. Também porque a motivação é muito interessante. Você não fica nem um pouco intrigado com o que poderia acontecer com uma cidade que foi toda construída não para sobreviver à terremotos mas sim para cair de forma que não mate as pessoas dentro de casa e etc? Tem toda uma ciência por trás do anime e realmente vale a pena ver.

Comentário do Felipe

Comentário do Felipe

Member 004 – Felipe.

Tokyo Magnitude 8.0 pode ser considerado mais uma experiência do que outra definição que possamos imaginar. A história se baseia em fatos, experiências e histórias de terremotos passados. O que aconteceria se Tokyo sofresse um abalo de 8.0 na escala Richter? Nessa animação, os produtores colocaram todas as teorias a prova, porém do ponto de vista de dois irmãos que são literalmente “abandonados” a sorte e tentam voltar para casa, após um terrível terremoto que abala a capital japonesa. Para os mais fortes, fica uma dica… não esqueça da caixa de lenços…

5

5. Pontos Fortes vs Pontos Fracos.

Os pontos fortes e fracos desse anime são meio controversos porque, pra começar, o desenho (Character Design, se preferir) é bem realista e isso é muito bom. Temos crianças completamente comuns que poderiam você, seu vizinho, seus irmãos, seus colegas, seus filhos ou qualquer outra criança. Elas vestem roupas comuns e tem características, como cor de cabelo, comuns. Mas a parte ruim do desenho é que, em alguns momentos ele fica meio desproporcional: mãos e pés gigantes, olhos estranhos, esse tipo de coisa… E isso acaba deixando a coisa menos natural, se é que podemos descrever o anime no geral como natural.

Uma outra coisa ruim e boa é o rítimo. É de comum acordo que a história é contada de uma forma muito lenta, e, como sabemos, isso é uma coisa que desanima de continuar vendo o próximo episódio, e o próximo episódio, e o próximo episódio… acho que deu pra entender. Como o rítimo é lentinho, a vontade de continuar assistindo episódio após episódio no mesmo dia vai desaparecendo conforme o anime vai passando. Mas mesmo assim tem aquele suspense que deixa a coisa toda mais interessante. O fato de você ficar preocupado com o que vai acontecer com as crianças faz seu interesse crescer.

Agora, uma coisa bem legal que te faz se identificar com a história são os personagens super carismáticos. O Yuuki é o menino mais gente boa da história dos animes e a Mirai é a irmã mais rabugenta de todas. As atitudes legais dos dois tornam o clima pesado do anime mais leve em alguns momentos, assim como os sentimentos deles nos piores acontecimentos nos alcançam.

E outra coisa melhor ainda: a ciência. Já foi falado várias e várias vezes que o anime inteiro foi construído em cima de uma pesquisa realizada no Japão sobre a possibilidade e o que aconteceria com a cidade e seus habitantes se ocorresse um terremoto de magnitude 8.0 na escala richter. Para as animações das cenas de prédios, pontes e a própria torre de Tokyo caíndo foram feitas simulações e experimentos para entender como aconteceria antes de ir tudo para o anime. Aliás, essa é outra coisa muito boa sobre essa produção: a animação super bem feita nos momentos de catástrofe. Em compensação, a animação das cenas de “cotidiano” foi meio fraca…

4

6. E vale a pena assistir Tokyo Magnitude 8.0?

Sem enrolações dessa vez, indo direto ao ponto: vale sim! E vale muito.

Mas vale porque para que todo o anime fosse montado e depois exibido, as muitas pessoas envolvidas no projeto trabalharam incansavelmente dia e noite. Primeiro os pesquisadores que fizeram vários experimentos pra saber o que realmente aconteceria em uma situação daquelas; por exemplo, se realmente acontecesse um terremoto de escala 8.0 em Tokyo, como as contruções (prédios, pontes, etc) se comportariam? Sim, elas quebrariam, mas de que forma? Qual seria a força com que os pedaços de uma ponte desabando cairiam dentro de um rio? E um viaduto? E um prédio de mais de vinte andares? O que aconteceria com as pessoas que ainda estivessem dentro dele? Quantos mini-terremotos esse destruidor causaria posteriormente? Quanto tempo demoraria até que tudo voltasse ao “normal”?

Perguntas como essas e muitas mais tiveram que ser respondidas antes do anime começar a ser produzido, então, fora as cenas mais emocionantes entre os irmãos, todo o resto foi pesquisado, estudado e testado para que o anime acontecesse e é realmente interessante assistí-lo tendo essas coisas em mente. Vale muito a pena justamente por isso.

Agradecemos muito a todos os pesquisadores que foram envolvidos na produção do anime.

Fora essa questão, toda a emoção que o anime te passa é recompensadora. Em alguns momentos foi possível sentir a angústia dos personagens, porque são emoções reais, que qualquer um de nós facilmente sentiria em qualquer situação parecida com a que eles enfrentam na história. É claro que, destoando completamente da parte do desastre, o modo como as duas crianças agem é fictício… Não que isso seja ruim, pois, caso contrário, acredito que não seria possível desenvolver uma história (se as crianças agissem no anime da mesma forma como elas possivelmente agiriam na realidade), além de que, não seria mais um anime se até a forma de agir das personagens fosse tão real.

É bom que as personagens sejam um pouco artificiais e viajem um pouco na maionese, descontrái quem assiste e também faz com que esses telespectadores simpatizem e sintam com elas durante a história, deixa tudo mais emocionante.

Não há motivos para que você não assista o anime, nem mesmo a animação mais mal feita em algumas cenas desencorajam. Está super recomendado! Para todos.

7

E ficamos por aqui mais uma vez pessoal. Espero que tenham gostado do episódio sobre desastres, banheiros portáteis e pessoas reclamando da animação dos personagens. xD E esse seria o momento que diriamos “Esperamos vocês no próximo episódio daqui uns quinze dias, comentem se gostaram ou não da postagem, do anime, da voz do Raito…” etc.

O recado é: O site está parado. Por quê? É que o Sky pegou sério o negócio do pai dele e está completamente sem tempo para editar e lançar. Infelizmente, todo o planejamento do site inteiro está uma zona e por isso não tem conteúdo. Mas o ponto onde queremos chegar é outro. Vocês sabem que a Brigada RMR é praticamente separada do restante do site; o que significa isso? Que nós não dependemos de ninguém para lançar nossas postagens. Todo o conteúdo dessa coluna é formulado pelos quatro de nós (Raito, Magno, Renatinha e Felipe) e podemos continuar trabalhando mesmo sem o Sky.

Mais uma coisa: Todos os animes que tínhamos assistido antes de começar a Brigada acabaram. Não temos mais nada preparado com antecedência e isso quer dizer que, daqui em diante, os episódios da Brigada continuarão demorando para sair. Infelizmente; nós tínhamos pensado em acabar com isso aqui (provavelmente depois dessa postagem) mas, visto que o Sky sumiu e o site está sem conteúdo, continuaremos com a Brigada! Esperem por isso!

E é isso. A Brigada nasceu para aproveitar nossas sessões de anime, e, preencher o vazio do site… Bom, vamos continuar com esses dois propósitos; provavelmente quando tiver podcast principal de novo vamos ficar em hiatus, mas sempre voltaremos.

Para finalizar: A Brigada estreou no dia 9 de dezembro de 2013, tendo o projeto nascido no finalzinho do mês anterior, e prometemos muitas coisas que não cumprimos, mas pelo menos não desistimos! E só temos a agradecer a vocês por todos os comentários e sugestões, por terem nos acompanhado desde o início. Vamos continuar firmes e fortes (e vamos parar de prometer coisas que não podemos cumprir), mas como diria o Sky: “vocês vão ter que me engolir”! Até a próxima pessoal!

8-2

Produção

Produção

Bruto, Trilha Sonora, Edição Final – Raito.
Texto – Renatinha, Magno, Raito e Felipe.

Referências Bibliográficas

Referências Bibliográficas

Comente
Reproduzir

Todos prontos pra enfrentar um terremoto que vai acabar com sua cidade e provavelmente com a sua vida também? Não? É claro que não. xD Voltamos dessa vez com o anime que é possivelmente o melhor de 2009 (estou escrevendo isso levianamente, nem levei em conta os outros animes que saíram nesse ano então não …

Avaliação

Character Design
Animação
Construção dos Personagens
Construção da História
Enredo

Estrelas da Confiança!

Sumario: Para começar temos o character design bem realista e isso é muito bom. São crianças completamente comuns que poderiam ser qualquer criança, mas... em alguns momentos ele fica meio desproporcional. As animações das cenas de prédios, pontes e a própria torre de Tokyo caído foram super bem feitas. Em compensação, as cenas de "cotidiano" foram meio fracas...Quanto à rítimo: a história é contada de uma forma muito lenta mas mesmo assim tem aquele suspense que deixa a coisa toda mais interessante. Os personagens são super carismáticos. A todo tempo nos divertimos e sofremos com eles. Além do que, são apenas três personagens que "contam" a história inteira e, normalmente, isso os deixaria sobrecarregados... mas os três fazem isso muito bem. Por fim, o mundo. Já foi falado várias e várias vezes que o anime inteiro foi construído em cima de uma pesquisa realizada no Japão sobre a possibilidade e o que aconteceria com a cidade e seus habitantes se ocorresse um terremoto de magnitude 8.0 na escala richter. Foram feitas simulações e experimentos para entender como aconteceria antes de ir tudo para o anime.

Nota do Usuario: 4.5 ( 1 Votos)
74

Sobre Renata Alexandra

Eu sou uma garota viciada em revisão de português, então por isso eu fiz o teste para o cargo aqui no AFS, e depois para vários outros sites... Atualmente sou podcaster, fazedora oficial de postagens de cast, faço pautas e captura de áudio nas horas vagas e a parte mais importante da trilogia (de quatro pessoas) da Brigada RMR.

8 Freaks estão discutindo o assunto. Participe Tambem.

  1. Anime muito bom, SPOILER: Mirai escreve no celular que deseja que o mundo se quebra-se e acontece o terremoto coincidência?!

Grita Aqui!

Or

O seu Email não será publicado.Campos Obrigatorios estão marcados. *

*