Ultimas Noticias

Review: Cain Saga

Olá para vocês! Eu sou a Drih, e hoje venho com a review de um mangá simplesmente maravilhoso de Kaori Yuki, autora de Angel Sanctuary. Trata-se de Cain Saga, uma série dividida em duas partes: Count Cain (composta por cinco volumes e publicada originalmente entre 1992 e 1994) e Godchild (com oito volumes publicados entre 2001 e 2004). Confesso que, quando me indicaram essa série, hesitei um pouco em começar a ler. Afinal de contas, uma série de temas pesados e polêmicos (assassinatos, suicídios, incesto, todo tipo de obsessão e psicose que vocês puderem imaginar, insinuações de yaoi) são abordados ao longo dos treze volumes. São temas com os quais eu mesma ficava meio desconfortável (quem assistiu os OVAs de Angel Sanctuary sabe do gosto que Kaori-sama tem por incesto, por exemplo, então já deve ter uma ideia do que eu estou falando).
Mas, quando comecei a ler, fiquei completamente hipnotizada. É uma história tão marcante, tão viciante… é simplesmente impossível ler sem se sentir atraído pelo enredo, pelos personagens, pela aura de mistério e drama do mangá… e, aos poucos, você vai percebendo que os tais temas pesados e polêmicos são abordados de uma forma tão bela e delicada que eles não chocam… pelo contrário, eles emocionam.
Então, vamos falar um pouco sobre essa história e seus personagens mais marcantes, que tal?


A HISTÓRIA E SEUS PERSONAGENS

Antes de qualquer coisa, vale a pena falar que, em Count Cain (primeira parte), cada arco é bem independente dos demais. Aos poucos, em cada história isolada, os personagens e a ideia geral do enredo são apresentados. Exatamente por querer que essa review desperte em vocês a curiosidade pela história, tentarei deixar passar o mínimo possível de spoilers, então muita coisa ficará meio vaga. Também devo dizer que a história sofre enormes reviravoltas, então o que estou apresentando aqui é apenas o panorama inicial.

Cain

A história se passa na Inglaterra do século XIX, uma época de elegância e mistério. Logo a princípio, conhecemos o conde Cain C. Hargreaves, um rapaz de 17 anos belo e bem-educado. A família dele é, porém, bem estranha, em vários aspectos. A princípio, o hobby saudável cultivado por várias gerações de Hargreaves é pesquisar e manter uma enorme coleção de diferentes venenos nos porões de seu palácio. Isso, por si só, já é bizarro. Mas existe a lenda, também, que a família Hargreaves, e em especial Cain, está sob uma maldição.

Cain tem belos olhos verde-dourados. Esses olhos fazem um sucesso enorme com as damas da época, mas também são o sinal do terrível passado da sua família: ele, na verdade, é fruto da relação incestuosa do seu pai, Alexis, com a irmã mais velha, Augusta. Graças a isso (a princípio… ao longo da história, você vai percebendo que é muito maior do que isso), seu pai o odeia e o pune de todas as formas. Ainda criança, ele envenena Alexis, que se joga de um penhasco. Antes disso, entretanto, ele amaldiçoa o filho, dizendo que ele jamais encontrará amor em sua vida e que morrerá sozinho.

CainApesar disso, ao longo dos capítulos vão sendo apresentadas pessoas que amam o jovem conde. O principal deles (e a que tem mais influência no andamento da história) é seu mordomo, Riff. Desde a infância de Cain, ele devotou sua vida a cuidar dele e acompanha seu mestre ao longo da história como um cavaleiro fiel. Também há a sua meia-irmã, Merryweather, uma garota de dez anos teimosa e agitada, que ele descobriu vagando pelas ruas e ganhando a vida lendo a sorte das pessoas. E seu tio Neil, rígido e um pouco controlador, mas que ainda assim tem um grande carinho pelo sobrinho. Um outro personagem apresentado posteriormente é Oscar, um sujeito muito alto, risonho e um pouco bobão, que segue Merryweather como um poodle e fica o tempo todo pedindo a mão dela em casamento para Cain (não, não temos lolicon nessa história… ele sempre deixa bem claro que vai esperar ela crescer para se casar com ela). Eu diria que Oscar é o alívio cômico de Cain Saga.

A princípio, a maldição dos Hargreaves parece ser real: onde quer que Cain apareça, um assassinato bizarro ocorre. E aí vão histórias de possessão espiritual, assassinatos com requintes de crueldade, vampiros (!), mortos-vivos… uma aura de morte parece cercá-lo. Na verdade, em sua primeira aparição no mangá, ele está violando um túmulo (!!). Ele investiga esses acontecimentos, principalmente com a ajuda de Riff, e vai se mostrando um personagem de raciocínio muito lógico e rápido, que ajuda a resolver esses crimes.

Aos poucos, porém, outras peças vão entrando no jogo e, o que a princípio parecia ser apenas fruto de um azar inacreditável, vai se tornando parte de um plano muito maior. É aí que entra em jogo o dr. Jizabel Disraeli, um médico que tem verdadeiro ódio por pessoas, apesar de amar todas as outras formas de vida de uma forma quase infantil. A pessoa que ele mais odeia é justamente Cain, que é seu meio-irmão, e o seu maior desejo é tomar os olhos dele e colocá-los em sua coleção. Jizabel serve a uma organização chamada Delillah, que vai revelando aos poucos um enorme plano, no centro do qual parece estar o próprio Cain…

CainE, ao longo dos capítulos, a história vai se tornando mais e mais complexa. A Delillah vai se mostrando uma organização cada vez mais cruel e poderosa, com objetivos ocultos e métodos condenáveis. E a maldição de Alexis sobre Cain vai parecendo ser mais e mais forte a cada capítulo… A mudança nos rumos da história de Count Cain para Godchild é enorme, e o enredo vai se tornando mais e mais sombrio e sangrento… Não posso dizer mais nada sem soltar spoilers monstruosos, mas posso dizer uma coisa: a história fica mais sufocante a cada capítulo e acontecem tantas reviravoltas, que é simplesmente impossível prever o final.

POR QUE LER CAIN SAGA?

Cain Saga é, em muitos aspectos, uma verdadeira obra de arte. Os traços de Kaori Yuki são belíssimos e os quadros são cheios de detalhes muito delicados e sutis. Desde o próprio design dos personagens até os cenários, as páginas de introdução dos capítulos, enfim, tudo foi desenhado para ser belo, antes de tudo. E isso ajuda a tornar os personagens ainda mais expressivos.
Além disso, a beleza dessa obra não é apenas visual. Os personagens são criados de uma forma que é impossível não sentir no mínimo simpatia por eles. Cain é cínico, depressivo e parece ter uma certa tendência à auto-destruição, mas mesmo assim tem um charme meio magnético nele. Todavia, ele vai se mostrando gentil e devotado às pessoas. Riff, por sua vez, é leal e altruísta, disposto a tudo pelo mestre que, um dia, salvou sua vida. Merryweather, apesar de seu jeito de criança teimosa, é decidida e extrovertida, o que contrasta com os outros personagens mais calados e introspectivos. O próprio Jizabel é um personagem pelo qual é muito fácil se apaixonar, com sua devoção insana e sua postura contraditória de ser cruel com pessoas e delicado com os animais… Outros personagens, também apaixonantes, vão sendo apresentados durante a história, como Emelline, noiva de Cain, teimosa e de pavio curto, Clahador, um paranormal não tão charlatão quanto parece, e Cassian, um homem que possui uma doença que o impediu de crescer e que fez com que ele parecesse ter eternamente 12 anos, que é aliado de Jizabel.
Uma outra coisa muito interessante, também, são citações a fatos bíblicos, contos infantis e elementos de ocultismo, como o tarô. Vários arcos tem inspiração em histórias que vão desde Branca de Neve a Romeu e Julieta, passando por Alice no País das Maravilhas e A Pequena Sereia. E as referências à Bíblia já começam até mesmo no nome do protagonista (“Cain” vem de “Caim”, irmão de Abel, filho de Adão e Eva… o primeiro homem a cometer um assassinato na face da terra) e permeiam toda a história. A forma que esses elementos se combinam, porém, é o mais interessante.
Mas, pelo menos para mim, o grande trunfo de Cain Saga é a forma sutil com a qual a história é tratada. Claro, há cenas visualmente chocantes, há sangue, há corpos mutilados. Mas nada é mostrado de forma vulgar ou apelativa. Mesmo a loucura é mostrada de uma forma que não é repulsiva, e sim comovente.
Agora, o ponto mais delicado dessa review. Incesto e insinuações de yaoi (ou, melhor dizendo, shounen-ai) estão presentes nessa obra. Antes de você, que não gosta dessas coisas, parar de ler, deixe-me dizer: até isso é mostrado de uma forma extremamente tocante e delicada. Não sou fangirl de yaoi, mas devo dizer que as cenas de devoção e carinho entre Cain e Riff são algumas das cenas mais belas do mangá. Não há nada explícito, nada apelativo. Alguém poderia dizer até mesmo que é uma relação muito mais de irmandade e amizade do que algum sentimento mais romântico. E algumas cenas de incesto também aparecem, embora também muito sutis e nem um pouco apelativas.
Resumindo: Cain Saga é uma história inesquecível, do tipo em que você chega à última página com lágrimas nos olhos e uma sensação de orgulho e satisfação por ter lido algo tão belo. É claro, esse pode não ser o estilo favorito de mangá de vocês (não é o meu, na verdade), mas a grandeza de enredo é inegável. Certamente incluirei essa obra na minha lista de favoritos. Enfim, fica o meu conselho: leia de coração aberto, e eu garanto que você não irá se arrepender!

Cain

INFORMAÇÕES ADICIONAIS

A obra foi licenciada pela Panini e lançada entre agosto de 2007 e agosto de 2008. É possível encontrar, pela internet, pessoas vendendo a coleção completa a um preço não muito salgado. Para quem quiser fazer download, um aviso: é bem difícil encontrar as obras de Kaori Yuki traduzidas para o português. Mas é possível encontrar o mangá traduzido para o inglês aqui: http://www.mediafire.com/?32dk576083d51

NOTINHAS DE RODAPÉ QUE NINGUÉM VAI LER (OU NÃO)

• Agora que já terminei a review, posso fangirlzar um pouco… OMG, o Cain é lindo demais… <3
• Primeira review, gente, então desculpem qualquer coisa! ^^’
• Agradecimentos, primeiramente, à minha amiga Tay (que deverá ler isso para o próprio bem dela! u_u), que me apresentou esse belíssimo mangá. Obrigada também à Fer, que revisou o texto (valeu!!! ^w^)
• Será que é difícil começar uma coleção de venenos? (*imaginando*)
• Agradecimentos ao Panda por ajudar a Drih noob com a postagem. Um dia ela aprenderá… ou não xD
• Por fim, obrigado a todos os que leram, e por favor, deixem comentários! Quero saber a opinião de vocês!

Cain Saga

Comente

Sobre Anime Freak Show

Durante esses mais de 3 anos, muitas pessoas passaram pelo site, algumas não estão mais, mas suas postagens continuam aqui!

4 Freaks estão discutindo o assunto. Participe Tambem.

  1. Mariana Figueiredo

    Tem pra dowload em portugues??

Grita Aqui!

Or

O seu Email não será publicado.Campos Obrigatorios estão marcados. *

*