Coluna do Kiba

Fanzines, por amor aos Quadrinhos

Yooo, aqui é o Kiba e estou de volta para mais uma coluna quentíssima, comemorando o retorno do AFS e todas as outras coisas boas que virão nos próximos dias. Essa semana, o assunto foi escolhido aleatoriamente, visto que eu participo muito de eventos de anime e tem uma coisa que eu tenho percebido e acho que deveria falar.

Hoje eu vou falar para vocês o que são, como surgiram e para que são feitos os Fanzines! O que é isso? São aquelas revistinhas em quadrinhos feitas por fãs do gênero que são vendidas em estandes nos eventos de anime, sabe? Então, é aquilo mesmo… Ah, chega de enrolação, vai!

FANZINE = FANATIC MAGAZINE = REVISTA FEITA POR FÃ


Bom, as fanzines nada mais são do que criações em quadrinhos no estilo HQ ou mangá que os fãs fazem de suas histórias preferidas. Podem ser baseadas em histórias que já existem ou criações novas, dependendo da categoria. Teoricamente, deveriam ser apenas criações feitas com base em obras anteriormente criadas, já que partem do princípio que quem faz deve ser fã de uma obra, porém, hoje em dia, leva-se em consideração o fato de que o autor pode ser um fã de Quadrinhos ou de HQ’s no geral que faz sua própria obra.

Basicamente, hoje em dia, os Fanzines nada mais são do que criações “independentes” feitas por fãs de quadrinhos. Funciona da mesma maneira que uma banda faz uma música independente para divulgar seu trabalho e, assim, conquistar público para um dia receber patrocínios ou conseguir contratos com grandes gravadoras (no nosso caso com Editoras).

Exemplo claro de um Fanzine

Os Fanzines surgiram à muito mais tempo do que se imagina e, no Brasil, os primeiros que surgiram foram alguns voltados ao público fã de ficção científica nos anos 1960. Porém eles se popularizaram mesmo no mundo Underground do Rock dos anos 1980 (sim, foram os rockeiros que criaram os fanzines). Basicamente, eles os faziam para divulgar bandas novas no cenário Punk, além de gravarem fitas com músicas e venderem à preços baratíssimos apenas para que as bandas se tornassem conhecidas.

Essa ideia parecia meio complicada, mas era a mais simples na época, já que não existia Myspace ou Purevolume para se divulgar uma banda. Apesar de parecer meio difícil, esse processo dava certo e fazia com que várias bandas se tornassem conhecidas no meio, já que naquela época, os punks eram bastante parecidos com os otakus de hoje em dia, com a diferença que eles se conheciam em shows e não pela internet.


Voltando aos fanzines de hoje em dia, eles evoluíram, é claro, e se encontraram com os fãs de HQs e Mangás, de forma que hoje, os fanzines podem ser considerados também como obras escritas por fãs. Sempre que vamos aos eventos de anime, seja eventos pequenos ou grandes, sempre há um grupinho de pessoas que curtem e fazemm fanzines. Normalmente eles ficam em um canto do evento expondo seus trabalhos. Eles são tão comuns que as vezes acabam não sendo notados pelos otakus que participam.

Eu acho isso errado! Se os otakus são tão abertos à novos animes e mangás na Internet, porque eles não podem tentar se interessar por um fanzine? As vezes, eles podem ter histórias tãos boas e envolventes quanto muitos mangás e animes japoneses que vemos por aí! Porque os otakus investem centenas de reais em mangás de Naruto (…) e não podem gastar um ou dois reais para comprar um fanzine que ache interessante?

Como eram os Fanzines antigamente

Sei que isso é meio complicado, mas pense dessa forma: Para você, é só um ou dois reais que serão gastos, mas para o autor (a) da fanzine será uma alegria muito grande ter sua obra vendida, mesmo que seja mais pelo objetivo de divulgação do que de lucro (que por sinal eles não tem nenhum, em 90% dos casos).

E não é só isso… Pense também que se os fanzines venderem bem, as editoras podem começar a se interessar por isso… Isso seria uma grande abertura para que os mangás nacionais tivessem mais espaço, e não apenas as obras internacionais. Não estou fazendo essa coluna para falar mal dos mangás e animes e bem das obras nacionais, mas acho que nós, como brasileiros e capazes de ter boas ideias, como nós somos, temos que dar um pouco de valor ao que nós mesmo criamos.

Vários Fanzines

Então é isso! Fica aqui a dica, ajude os fanziner’s, compre fanzines, divulgue para seus amigos se a história lhe agradar, converse com os autores, dê e ouça sugestões (eles adoram conversar) e ajude a divulgar algo original e feito por pessoas como nós, que não ganham nada e fazem isso por amor aos quadrinhos.

Até a próxima!

Comentários Pessoais:

01 – Como eu estava com saudades do AFS e de escrever esses comentários nas minhas matérias!

02 – Se você tem um Fanzine, faz parte de algum grupo do gênero, divulgue nos comentários!

03 – Se você leu alguma fanzine que gostou, fale o nome aqui nos comentários, divulgue pra mais gente o que você achou interessante!

04 – Um grande abraço pra toda galera do Shout Box! Sei que ele esteve meio parado no período Turn Off do site, mas com certeza, o shout voltará com tudo!

 

Mostrar mais

Artigos relacionados

2
Deixe um comentário

avatar
2 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Comentario mais recente
Mais Comentados
  Se Inscreva  
Me Notifique
Gastd
Visitante
Gastd

Nossa, eu não conhecia nada de fanzines, agora q sei o q é
darei mais credibilidade.
Valeu pela matéria.

Seiji
Visitante
Seiji

Ótima matéria Kiba….Pois é, as fanzines de fato sofrem um pouco de preconceito do público geral otaku em eventos, passando sempre despercebidas. O preco é tao barato, mas muitas vezes sao ignorados. Nao se compara ao Japao, onde tem um grande evento só para isso, publicacao de fanzines. Tem q se pensar q existe todo um trabalho e dedicacao para fazer o trabalho, e qdo esse reconhecimento surge, mesmo q pequeno, para o autor da obra nao é. na verdade é uma alegria danada. Eu comparo essa alegria com os cosplayers, qdo tiram fotos deles, ou de colunistas, qdo alguém… Read more »

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar