Review: Bartender

O anime conta a história de Sasakura Ryu, um bartender conhecido também como Deus da Taça (Glass of God), capaz de lembrar de todo os seus clientes mesmo tendo os visto uma única vez. Ouvindo os seus clientes, as suas histórias, frustações, motivações, etc ele dá conselhos a cada um, oferecendo para isso um determinado drink. Por que ele faz isso? Cada bebida tem uma história de sua origem e onde, como e o porquê dela ter sido criada. Associado a isso tudo, a profissão do bartender é saber todas essas informações e ao contar essas histórias, ele oferece também lições de vida fazendo analogia à situação vivida pelo cliente com a história do drink em si. Tudo isso anima os clientes e eles decidem seguir suas vidas, alguns com mudança outros com conformismo.

Apesar do texto anterior parecer ser uma enrolação, fazendo analogia de uma bebida à vida de um personagem, o anime é sério ao lidar com essas coisas. É um anime seinen, sua abordagem possui um tom dramático, e usa um jogo de cores sérios e uma música que vai do estilo clássico daqueles tocado em restaurantes e bares a um jazz calmo. Pode-se até dizer que o anime possui um estilo refinado de abordagem, contudo seu aspecto visual é intrigante.

O anime utiliza muitos recursos de narrativa como o fato de que qualquer personagem se torna um narrador onisciente das ações do Bartender. Além disso, vemos o simbolismo de vários elementos sendo explicados ao longo dos episódios, a endeusificação do profissional, o surrealismo e o sentimento de emoção do cliente ao beber o drink, e viagem de nostalgia dele ao relembrar de vários coisas importantes graças a um simples gole.

A endeusificação do bartender no anime é uma coisa bastante curiosa, porque no mangá ele é tratado mais como uma personagem normal, que tem vida social, fica cansado, estressado, tem um passado que o persegue e tem contas à pagar. Já o anime valoriza extremamente a profissão do bartender de forma a endeusá-lo, pois ao contrário do que se pensa, o bartender apresentado não é aquele que trabalha em botecos e bares de esquina embriagando seus clientes, mas sim aquele com uma riqueza de diversas opções de drinks.

O ponto forte do anime é a descrição que o personagem faz de sua profissão, no qual ele declara seu amor por ela, e como ela é importante como testemunha e interferência nas relações humanas. Como a própria série descreve, há duas profissões que não se pode trair a confiança do cliente, uma delas são os profissionais de medicina e a outra é o bartender, pois ambos usam substâncias que tanto podem curar como drogar. Assim, o bartender é entendido como o profissional que o cliente procura, querendo esquecer por alguns minutos dos problemas stressantes da vida, sendo um confidente assim não ele pode piorar a dor deles os embriagando. Como a própria série define, o bartender deve ser o último aliado do cliente mesmo que todas as outras sejam seus inimigos.

Além dessas situações de compreensão do profissional e das lições de vida que podem ser aprendidas, outra função da série é ser informativa. Assim, entendemos o modo de preparo de cada drink, todas as sutilezas nos ingredientes e preparação e logicamente a mensagem que cada um passa. Por exemplo, temos a Marguerita que representa um amor triste, a Bull Shot que relembra a coragem antes de se partir em uma jornada, a Grasshopper com toda a sua sutileza de cores, e mesmo a Daiquiri, relembrando Ernest Hemingway e seu livro o Velho e o Mar, e a motivação do Homem em nunca desistir mesmo que o matem.

O ponto fraco do anime talvez seja por ele ser um seinen slice-of-life com uma narrativa cheia de lirismo, o público em geral pode não gostar da série, achar meio tedioso e também não compreendê-lo. De fato, não é um anime recomendado pra quem não tem paciência, não gosta de refletir sobre alguns problemas da vida e principalmente acha que bebida alcoólica é tudo igual. O anime tenta explicar o comportamento humano em várias situações de tensões, e especialmente mostrar que o apreço pela bebida não é tornando a pessoa bêbada (coisa recriminada na série), mas sim saber apreciá-la nos momentos certos da vida.

Além do anime de Bartender que teve 11 episódios, você também pode curtir o Mangá de Bartender que já terminou no Japão (e que ainda está sendo traduzido para inglês) ou o Dorama lançado em 2011. Então é isso e até uma próxima vez quando surgir tempo e oportunidade o/

Comentários:

1. Espero que vocês tenham curtido essa review curta, mas de uma série desconhecida que eu gosto ^^

2. Infelizmente, o anime só tem 4 episódios legendados em português. Então, se vocês querem ver mais, procurem aqueles com legendas em inglês ou espanhol XD

3. Eu não sou bêbado Ò_Ó

4. Referência máxima no mangá de Bartender… jabá da 51 kkkk

Comente

Sobre Anime Freak Show

Durante esses mais de 3 anos, muitas pessoas passaram pelo site, algumas não estão mais, mas suas postagens continuam aqui!

3 Freaks estão discutindo o assunto. Participe Tambem.

  1. Reginaldo Rossi Feelings

Grita Aqui!

Or

O seu Email não será publicado.Campos Obrigatorios estão marcados. *

*