Review: Bokurano v2

Falando sobre Bokurano por outro olhar.

Olá pessoal, tudo bem? Aqui estou eu de volta com mais uma review. Dessa vez vou falar sobre Bokurano, um anime que apesar de seus altos e baixos tem mensagens interessantes para passar. Quem acompanha o departamento há um bom tempo deve estar se perguntando: Já não existe uma review desse anime no site? Sim, existe (e vocês podem conferir clicando aqui). É uma análise antiga e aceitável, concordo com muita coisa que o autor falou lá. Porém, acho que ele não soube extrair o que tinha de bom do anime e achei injusto deixar a impressão que ele deixou na análise dele, onde anime seria um lixo, quando eu acredito que não seja. Não quero entrar em conflito com ninguém, apenas fazer minha própria análise da série. Sem mais delongas, vamos à review.

História

Quinze crianças estão em uma excursão de férias em uma ilha chamada Mitomo. Andando pela ilha, eles encontram uma caverna e decidem explorá-la. Dentro dela eles encontram algo semelhante a uma base, com pequenas instalações e computadores. Após explorar o local, um senhor de meia idade aparece. Ele se identificou como Kokopelli e convidou as crianças para testarem um jogo que ele estava desenvolvendo, onde elas enfrentariam quinze alienígenas pilotando um robô gigante, sendo que cada uma enfrentaria um de cada vez. Curiosas, as crianças resolvem ignorar os conselhos de papai e mamãe que diziam para não conversar com estranhos e decidem participar. Kokopelli então oferece um contrato para confirmar a participação deles no “jogo”. O que elas não esperavam é que um monstro gigante realmente aparecesse no mundo real, e que aquele contrato que elas assinaram não é de um jogo virtual, mas sim batalhas reais onde muito está em jogo.

Kokopelli, então, começa a lutar com o robô de forma a instruir as crianças como pilotar ele. O monstro acaba por ser derrotado e as crianças são teletransportadas para fora do robô, porém Kokopelli desaparece. Após o choque de perceber que o monstro era verdadeiro e tudo era real, elas se deparam com uma realidade chocante: Serão quinze invasões, para quinze pilotos… E o robô usa a energia vital de seu piloto para se mover, o que faz com que o piloto morra ao final da batalha. Resumindo: Todos estão condenados à morte desde o inicio.

Aspectos Ténicos

O que fazer quando você sabe que a morte está próxima e é inevitável? Como você deve agir em seus últimos momentos de vida? Esses são slogans que encaixam perfeitamente no anime. As crianças são postas para lutar contra monstros invadindo o planeta e tem como objetivo proteger a humanidade, porém elas vão morrer no final. Como elas vão reagir a isso? Vale a pena lutar, se o próprio fim é inevitável?
Bokurano é um anime de história linear e previsível. Cada arco se baseia em contar a história de cada criança, para logo em seguida ela lutar com o robô e morrer. As lutas são fracas e curtas, dificilmente ultrapassando cinco minutos de um episódio. Porque Bokurano seria um anime que valha a pena ver, então? Simples. Pela profundidade dos personagens.

Cada personagem em Bokurano reage de forma diferente à notícia de que suas vidas vão chegar ao fim. São personagens que buscam um amadurecimento e uma forma de viver seus últimos momentos de vida, o que já depende de cada um como serão eles. Enquanto alguns mais mimados procuram apenas aproveitarem o que não aproveitaram, outros procuram resolver os problemas que apareceriam com suas mortes, como a infelicidade que iria causar nas pessoas que os amam, ou garantir a segurança das pessoas importantes. Os personagens são profundos e humanos, sendo que as personalidades deles e as ações que eles tomam ao longo da série são justificáveis. Porém, mesmo que os personagens sejam bem trabalhados, o fato deles estarem condenados à morte e de ter poucos episódios para terem suas histórias desenvolvidas (são quinze histórias para serem contadas em apenas vinte e quatro episódios) pode acabar impedindo que quem assiste se apegue a eles.

Bokurano é um anime de temática forte e violenta, não por causa das lutas entre o robô e os alienígenas, mas pelas histórias das crianças em si. É possível ver de tudo no anime: Violência, estupro, pedofilia, tentativa de suicídio… As lutas entre o robô (que foi nomeado por eles de Zearth… A importância das lutas comparada a história das crianças é tão pequena que eu até tinha me esquecido de citar isso) e os alienígenas parecem mais uma desculpa para o cenário de morte certa das crianças existir. As crianças ou tem uma vida sofrível, ou problemas psicológicos, e o anime coloca tudo em cheque e oferece a elas pouquíssimo tempo para resolverem todos os problemas que as assombram.

Algo estranho no anime é a censura total à sangue, mesmo com cenas onde o aparecimento do mesmo seria inevitável. Cenas como de uma tentativa de suicídio a partir de uma ferramenta cortante e de alguém com ferimentos causados por tiro não tem sangue nenhum, simplesmente mostra a pessoa caindo no chão em um ângulo que esconde o local machucado e não mostra sangue, ferida, absolutamente nada. Estranho e desnecessário em um anime com temáticas tão fortes.

A história por trás do anime não é fraca. O anime explica com competência o que é a trama por trás de Bokurano, os alienígenas e o robô que eles usam para lutar, de forma que tudo faça sentido no final. Porém, se algo te pretender ao anime, definitivamente não será a história por trás da parte de ficção científica do anime, e sim da parte realista do mesmo, onde as situações são lamentáveis e realmente acontecem na vida real.

O traço não é dos melhores, mas não atrapalha a experiência do anime. A trilha sonora não é lá essas coisas, porém a abertura do anime se destaca. Ela representa muito bem a sensação depressiva que o anime passa, sendo possível perceber momentos de desespero e melancolia dos personagens na letra da música e na animação, que combinam e dão uma ideia do que é o anime.

Eu particularmente tirei uma mensagem boa do anime. Mesmo se tudo estiver péssimo e a esperança não existir mais, ainda há algo que podemos fazer enquanto estamos vivos. As pessoas normalmente reclamam por muito pouco, por ter que trabalhar depois do horário, por ter que lidar com alguém que não gosta… As crianças desse anime teriam todo motivo do mundo para desistirem de tudo e apenas esperar pela morte chegar, mas mesmo sendo tão novas elas amadurecem e aprendem a se importar com os outros e com isso lutam em seus últimos suspiros. Por mais que sejam personagens fictícios em um ambiente surreal, eles são exemplos que deveriam ser seguidos pela sociedade, que provavelmente na situação deles, a maioria das pessoas só se importaria com o próprio umbigo.


 

E ai, vale a pena assistir?

Depende do que você procura. Se quer um shounen com lutas interessantes, personagens carismáticos, uma história tranquila e um final feliz, simplesmente passe longe de Bokurano. Porém, se quer um drama mais pesado, com bons personagens e uma boa história, eu recomendo. Por mais que seja um anime que dificilmente vai ser top de alguém, ele é uma experiência válida para quem quer uma temática mais adulta.

 

Janjão~~

 

Comente

Sobre Janjão

Janjão
Estudante de psicologia, amante de cultura pop japonesa no geral e redator do Anime Freak Show nas (muitas) horas vagas.

2 Freaks estão discutindo o assunto. Participe Tambem.

  1. Gostei muito do Anime, tem alguns personagens extremamente interessantes como a menina que gosta do professor e o moleque que tenta estuprar a garota antes de morrer.

    São acontecimentos e reações tão realistas e humanas que fazem você criar um empatia imediata com esses personagens o que torna a historia fantástica.

    Bokurano tem seus defeitos, mas com certeza é um excelente anime e merece ser assistido por todos.

    Recomendado ^^

Grita Aqui!

Or

O seu Email não será publicado.Campos Obrigatorios estão marcados. *

*