Review: Katawa Shoujo (Game)

Uma surpresa agradável que saiu do 4chan.

Hoje vou trazer para vocês a análise de Katawa Shoujo (em português, Garotas Deficientes), um jogo do estilo visual novel da desenvolvedora independente Four Leaf Studios. É um jogo sem fins lucrativos que é a princípio para maiores de dezoito anos por conter cenas de sexo, porém no próprio jogo existe a opção de retirar essas cenas, deixando o jogo mais leve para adolescentes e crianças.

A ideia de fazer Katawa Shoujo começou quando um artista japonês de doujinshis com o nickname Raita fez um esboço de personagens de um jogo que seria situado em uma escola de deficientes e publicou no 4chan. Desde janeiro de 2007 uma possível criação desse jogo já era discutida, e após muita discussão, acabou sendo criada uma equipe para o jogo chamada Four Leaf Studios. Em abril de 2009 foi criada uma demo do jogo mostrando a primeira parte do mesmo, chamada “Ato Um” e em janeiro deste ano foi lançada a versão completa. E muito bem, como funciona esse jogo?

História

Nakai Hisao está em uma viagem com sua turma de escola. Durante essa viagem ele recebe uma declaração de amor de uma colega de classe. Durante a confição, Hisao tem um ataque cardíaco e apaga.

Quando Hisao acorda, ele está em uma cama de hospital. É diagnosticado que ele tem arritmia cardíaca e nunca mais vai poder ter uma vida normal. Ele passa meses no hospital tendo o dia-a-dia monitorado e tendo que tomar vários remédios. Além disso, ele vê as visitas serem cada vez menos frequentes. As pessoas que ele ama estavam se afastando pouco a pouco, até a última pessoa que o visitava que era do ciclo de amigos dele, a menina que se confessou para ele, parou de visitá-lo. Hisao então acaba por ter apenas a companhia de seus livros, hobbie que acabou criando para passar o tempo.

Preocupados com o futuro de seu filho, os pais do Hisao tomam uma alternativa sem nem pedir a opinião do garoto: com medo dele ficar sem estudos, matriculam ele na Escola Secundária Yamaku, um colégio especializado em pessoas com deficiência física. Hisao, sem opções, acaba indo para essa escola. Mas como será a adaptação dele? Será que ele conseguirá se enturmar, e quem sabe, conseguir um amor?

Aspectos Técnicos

Sendo uma visual novel, Katawa Shoujo é um jogo onde você escolhe opções de diálogos que você deseja que seu personagem diga para seguir determinados caminhos. O jogo começa pelo ato um, onde seu objetivo é entrar na rota de uma das heroínas, onde você vai tentar conquistar o amor delas. São cinco heroínas: Ibarazaki Emi (garota atlética e sem pernas abaixo do joelho, anda com próteses), Ikezawa Hanako (garota com metade do rosto queimado de personalidade reservada), Satou Lily (garota cega com personalidade calma e gentil), Tezuka Rin (garota sem braços misteriosa e confusa) e Hakamichi Shizune (garota surda-muda com personalidade forte e grande senso de liderança).

O jogo é linear e não oferece muita dificuldade para chegar aos finais felizes. Existe uma quantidade razoável de opções de diálogo para se escolher no ato um, porém após entrar na rota de alguma heroína, apenas cinco ou seis opções de dialogo em média são apresentados ao jogador, tornando o jogo simples e sem grandes desafios. Você não pode esperar uma grande jogabilidade e sistemas diferentes ou originais, muito menos mini-games. O que torna o jogo especial são os personagens e a história.

Hisao é um personagem principal memorável. Os criadores nitidamente tiveram preocupação em fazer um personagem interessante. Ele tem uma personalidade considerada até padrão em personagens principais desse tipo de jogo, ele é uma pessoa gentil e amável, porém sabe explodir, e é duro quando precisa. Ele é um personagem que evolui em cima dos erros e faz o máximo possível para superar sua condição. O principal objetivo dele é descobrir como vai levar a vida dele e aprender a lidar com sua nova realidade, afinal, ele tem que encarar uma realidade totalmente nova, onde todos os alunos têm uma deficiência e problemas gerados por isso. Claro, não podemos esquecer das próprias limitações dele, afinal, ele tem que tomar 17 pílulas por dia, o que com certeza afeta e muito o biológico dele, sem falar nas limitações quanto a atividades físicas e do risco de ter um ataque cardíaco a qualquer momento (é importante lembrar que em um primeiro momento ele não conta para ninguém o problema cardíaco dele).

As heroínas do jogo são outro ponto positivo. O jogo poderia usar a deficiência delas para o lado fetichhista da coisa, mas ele se preocupa em mostrar como é realmente o cotidiano de pessoas deficientes e como elas lidam com isso. Como já disse na introdução desta review, é um jogo com cenas de sexo, mas elas são poucas e só são acessíveis depois que você cria uma história de amor com a heroína, o que não acontece tão cedo.

As heroínas não são tratadas como coitadas nem nada do tipo, algumas já nasceram com a deficiência e já estão acostumadas com isso, outras se tornaram deficientes com um acidente, porém se esforçam o máximo para fazer o possível dentro das próprias limitações. Um exemplo disso é a Emi, a menina que perdeu as pernas. Após o acidente, ela colocou próteses e se transformou em uma grande corredora, chegando ao auge do atletismo de deficientes. A maioria dos problemas encontrados no jogo são psicológicos, sendo que muitos não tem nem haver com a deficiência em si, mas sim outro aspecto envolvendo a história de vida da pessoa. Elas tem um ótimo desenvolvimento durante o jogo junto com o Hisao e com a ajuda deste costumam aprender a lidar melhor com seus problemas.

Outro ponto positivo é a ótima participação de personagens secundários, que adicionam muito a história principal. A Misha, intérprete de Shizune, é um grande exemplo disso, pois ela tem uma participação imensa no arco da Shizune, por estar sempre do lado dela e estar sempre ajudando ela e o Hisao quando é necessário. A participação dos adultos também merece destaque, e quando falo adultos digo o enfermeiro, a bibliotecária e o professor de ciências (existem outros que são específicos de arcos, mas não citarei eles aqui). Eles estão sempre à disposição para te dar dicas e ajudar no que for preciso. É muito importante ouvir o que eles falam porque as dicas deles são essenciais para chegar no final feliz de cada personagem. Pessoalmente eu não gosto da participação do personagem secundário Kenji, único amigo homem de Hisao no colégio. A maioria os diálogos com ele não adcionam em nada a história principal, e quando adcionam sempre é pouca coisa. Sem falar que o que ele fala normalmente não faz o menor sentido, sendo quase tudo descartável (chegava em um momento que eu pulava os diálogos dele no jogo).

Visto que a equipe do jogo foi feita no 4chan e provavelmente não era formada por profissionais e não tinha fins lucrativos, ele é simples e não tem tantos recursos. Mesmo assim, é nítido o esforço e o ótimo trabalho que a equipe fez com o que tinha. A parte visual do jogo é espetacular. Os cenários de fundo parecem fotos, mas quando você olha direito são pinturas extremamente bem feitas. O traço dos personagens é muito bonito e as expressões deles são vivas, sendo que elas demonstram bem o que eles estão sentindo. Não existe vocal no jogo, nem nas músicas e muito menos nas falas. Quase todas as músicas são feitas a o som de piano, contendo de vez em quando um violão ou outro instrumento de som leve na melodia. Eu tiro meu chapéu para o pianista que fez a trilha sonora, já que com apenas com o som do piano ele fez músicas que passam muito bem todas as situações do jogo: o clima de tensão, as cenas felizes, os momentos tranquilos… Ele soube criar uma trilha sonora envolvente e que combina com cada situação praticamente usando só um piano.

Por seu fácil acesso, Katawa Shoujo está sendo um marco para as visual novels. Ele é uma chance das pessoas conhecerem o que é uma visual novel e se interessarem por esse estilo de jogo. Eu mesmo sou um iniciante quando se fala de visual novel, e é muito difícil achar elas, pois a maioria delas apenas é comercializada no Japão e é difícil achar versões traduzidas por ai. Katawa Shoujo deu um gostinho de quero mais e está sendo responsável pelo aparecimento de novos fãs desse estilo de jogo. Fica minha salva de palmas e o desejo de que a equipe do jogo seja vista por alguma empresa da área de jogos, possibilitando assim que eles façam novos jogos dessa qualidade com mais recursos.

E ai, vale a pena jogar?

Se vale a pena jogar? Vou praticamente implorar para que vocês joguem, pois é um jogo que merece ser jogado. Para ter feito algo de tanta qualidade com tão pouco e não ganhar nada com isso tem que amar o que faz. Apesar de ser um jogo simples, ele é uma experiência obrigatória para fãs de visual novel, e uma ótima alternativa para quem quer conhecer o gênero. Infelizmente só quem sabe inglês vai conseguir jogá-lo, pois não existe tradução para português. Um possível grupo anônimo estaria fazendo o jogo há um tempo atrás, porém desistiram do projeto por algum problema com perda de dados. Tomara que um dia algum estúdio de animes olhe para o jogo e faça um anime dele. Sinceramente, se isso acontecesse meu top 1 estaria ameaçado.

 

Janjão~~

 

Observações

-Link para o site oficial de Katawa Shoujo (download disponível)

-Eu normalmente tento ser imparcial nas minhas reviews, mas eu deixei escapar meu lado fanboy nessa… Desculpem-me, mas não consegui ser imparcial toda hora. ^^

-Peço desculpas pelo atraso e faltas na área de review, estamos passando por algumas dificuldades, mas vamos tentar resolver isso o mais rápido possível.

 

Comente

Sobre Janjão

Janjão
Estudante de psicologia, amante de cultura pop japonesa no geral e redator do Anime Freak Show nas (muitas) horas vagas.

10 Freaks estão discutindo o assunto. Participe Tambem.

  1. Um ótimo jogo eu lembro que quem me passou ele foi o goe pelo skype quando eu tava de vip,joguei e curti o jogo ele é realmente bom!

Grita Aqui!

Or

O seu Email não será publicado.Campos Obrigatorios estão marcados. *

*