Review: Saikano

– Por que está aqui? Por que luta? Por que mata?

– Porque eu quero viver. Porque eu sou uma arma. Eu viverei enquanto lutar. E se eu estou viva, eu posso amar, não é? E se eu posso amar… eu ainda sou humana… não é?

Yo, minna-san! Hoje venho apresentar a vocês um anime surpreendente e tocante, que funde drama e romance de uma forma simplesmente fantástica. Trata-se de Saikano, ou Saishuu-Heiki Kanojo (seu nome completo, que pode ser traduzido como “Ela, a arma final” ou “Minha namorada, a arma final”), adaptação do mangá de Shin Takahashi. O mangá conta com 72 capítulos e sete volumes, e foi lançado em maio de 2000. O anime, por sua vez, estreou em 2002, contando com treze episódios. Dois OVAs paralelos à série foram lançados em 2005, e em 2006 foi lançado um filme em live-action.

Eu admito que não esperava muito de Saikano. Romance nem de longe é meu gênero favorito e o próprio slogan da série, “A última canção de amor neste pequeno planeta”, dizia que era esse o tema básico do anime. Contudo, também admito que tive que engolir o ceticismo já nos primeiros episódios. Aos poucos a série foi me conquistando e me surpreendendo cada vez mais, mas acho que é desnecessário dizer isso, por enquanto. Antes de tudo vamos falar um pouco sobre o que torna a história da garota-arma tão interessante assim.

A HISTÓRIA E SEUS PERSONAGENS

A história se passa num Japão assolado por uma grande guerra. Pouco se fala dela, não se sabe quem são os inimigos, mas isso não é relevante à história. E, nesse ambiente, as pessoas tentam viver suas vidas. É aí que conhecemos os protagonistas, Shuji e Chise. Os dois têm 17 anos, estão no terceiro ano e estudam na mesma classe. É Shuji quem narra a história, e através dele descobrimos que os dois acabaram de começar a namorar.

Mas eles são bem diferentes entre si. Ele é um rapaz meio calado, um pouco insensível e muito sério que fazia parte do time de corrida da escola e que não sabe ao certo o que significa amar alguém. E ela é uma garota lenta, desastrada, com notas baixas em todas as matérias menos história, e que passa o tempo todo pedindo desculpas por tudo. O namoro deles começou às avessas, com ela se declarando a ele por pressão das amigas. Tanto é que, logo no início, os dois rompem, mas decidem dar uma segunda chance e percebem que, apesar de tudo, têm sentimentos reais um pelo outro.

Um dia, porém, Shuji e alguns amigos foram fazer compras em Sapporo. Nesse dia, a cidade é bombardeada por forças desconhecidas. Ele se separa dos seus amigos e, enquanto busca abrigo, vê um objeto pequeno e muito veloz voando pelos céus e atirando nos bombardeiros. Enquanto ele procura pelos outros, depara-se com Chise. Mas não é mais a mesma Chise que ele conheceu antes. Agora, com grandes asas de metal e armas saindo de seu corpo, ela se tornou a Arma Definitiva – uma entidade criada com o único propósito de destruir.

A história se desenrola a partir daí. Chise não sabe ao certo quem a transformou numa arma, e nem por que fez isso. E, com isso, ela passa a tentar usar seus novos poderes para salvar pessoas, mas pouco a pouco vai se dando conta de que uma arma só pode destruir, e não salvar. E Shuji tenta encontrar uma forma de viver com isso, de estar ao lado dela, de amá-la. Mas será que a Chise por quem ele se apaixonou ainda existia? Até quando ela conseguiria se manter humana, ao invés de se tornar por completo uma ferramenta de destruição?

Outras histórias se entrelaçam à história deles, como as de Atsushi, melhor amigo de Shuji, e Akemi, melhor amiga de Chise. Akemi é apaixonada por Shuji, mas é incapaz de se declarar a ele, e por isso incentiva o namoro dele com Chise. Atsushi, por sua vez, ama Akemi, mesmo sabendo dos sentimentos dela pelo amigo. E, mesmo assim, decide ir à guerra para protegê-la. Temos também a história de Tetsu, oficial do exército japonês, pessimista e cínico, que já está cansado da guerra mas que mantém seus deveres, e que é uma das únicas pessoas que vê a garota, e não a arma, em Chise. E, por fim, a história de Fuyumi, esposa de Tetsu, que foi um dia senpai e primeira namorada de Shuji, e que sofre pela ausência do marido e pela solidão durante a guerra.

POR QUE ASSISTIR SAIKANO?

Um dos pontos mais fortes desse anime é a forma como drama e romance se misturam. A relação entre Chise e Shuji é muito bela e muito intensa, e se transforma várias vezes ao longo da história. De um namoro que começa meio por vias tortas, aos poucos vai se revelando um sentimento muito profundo e intenso. Chise busca se manter humana, Shuji tenta protegê-la do mundo – e de si mesma.  E a forma como a relação deles é mostrada é belíssima, também. Os dois personagens são humanos demais, fracos demais de diferentes maneiras, e tentam superar essas fraquezas através um do outro. Aliás, antes de tudo, Saikano é uma história de amor, que se mostra de diferentes formas e através de diferentes personagens. As cenas de romance são sutis, delicadas e intensas, e conseguem ser fortes e emocionais sem necessariamente ser melosas.

Além disso, a guerra se torna um excelente pano de fundo para cada uma das pequenas histórias individuais abordadas em Saikano. Aqui não vemos batalhas épicas, grandes heróis ou grandes tiranos. O que vemos são pessoas comuns que tentam continuar suas vidas da melhor forma possível, mesmo em meio ao caos. E só percebemos a dimensão desse caos através de pequenos detalhes. São as carteiras vazias, cada vez mais numerosas na sala de aula, as refeições sem carne por causa do racionamento de comida, os amigos desaparecendo um a um. E, em meio a tudo isso, aqueles que ficam para trás ainda tentam viver. É uma das mensagens mais fortes do anime, na minha opinião. A crítica à guerra é feita de uma forma ao mesmo tempo muito sutil e muito eloqüente.

E cada história individual também é intensa e dolorosa. O pessimismo de Tetsu, que está tão cansado de ver seus subordinados morrerem que se recusa a saber os nomes de seus novatos. A resignação de Atsushi, apaixonado por uma garota que não o ama, mas que mesmo assim decide ir à guerra para protegê-la. A mesma resignação que move Akemi, que também ama alguém que não a corresponde. A solidão de Fuyumi, esperando por um marido que já não acredita mais que voltará vivo para casa. Pequenas histórias que, juntas, mostram o quanto o mundo está destroçado. Nesse ponto, ele me lembrou um pouco um dos meus animes favoritos, Tokyo Magnitude 8.0 (por sinal, aqui mesmo há uma review excelente sobre ele, escrita pelo Alchemist): mostrando o caos e a catástrofe e as pessoas, cada uma à sua maneira, tentando se adaptar a eles. E uma das grandes vitórias de Saikano é exatamente o fato de os personagens serem humanos demais, reais demais. É muito fácil se identificar com eles.

Considerando o anime como um todo, eu daria nota 8 em 10. Acho que o problema foi o último episódio que, apesar de surpreendente, foi meio fraco e anti-climático. Os episódios anteriores ao final, em especial os episódios 9 a 12, são de uma intensidade absurda, e faltou essa intensidade no final da série. Além do mais, outras pequenas falhas (pontas soltas na história que poderiam ser melhor abordadas, um traço que não me agradou muito, em especial nos rostos dos personagens) me impedem de dar nota máxima a esse anime. Mesmo assim, é algo que vale a pena ser assistido, principalmente para quem gosta de romance, mas procura algo que fuja das comédias românticas água-com-açúcar.

Enfim, resumindo: Saikano é um anime excelente. É muito fácil também se apaixonar pela garota lenta e desastrada cujo lema é “eu quero ser mais forte”, ou pelo garoto sério e calado que tem vergonha de ser chamado de Shu-chan e chama a todos de idiota com mais freqüência que a maioria das pessoas. É muito fácil se identificar com aquelas pequenas histórias, e senti-las também. Fica a recomendação. ;D

INFORMAÇÕES ADICIONAIS

O anime foi exibido no Brasil no canal Animax em 2006. É um anime fácil de encontrar para download, tendo sido legendado pelo AnimeTracker. O mangá, por sua vez, não foi traduzido para o português, mas está disponível em inglês em sites de leitura online, como o OneManga.

NOTAS DE RODAPÉ

– Primeiramente, obrigada ao Seiji, que revisou a postagem, e me ajudou mais uma vez a decifrar o WordPress. O que seriam de noobs como eu sem almas iluminadas para guiá-los, como ele? xDDD

– Obrigada a todos os que leram, também! E comentem muito, babies, me ajudem a melhorar! ;D

Comente

Sobre Anime Freak Show

Durante esses mais de 3 anos, muitas pessoas passaram pelo site, algumas não estão mais, mas suas postagens continuam aqui!

10 Freaks estão discutindo o assunto. Participe Tambem.

  1. Olá, belo site, eu queria saber si alguém poderia mim passar um link de um site que eu possa assistir ao filme da serie? Eu já procurei na net, mas ta bem difícil de encontrar! Agradeço de já! ^^

Grita Aqui!

Or

O seu Email não será publicado.Campos Obrigatorios estão marcados. *

*