Review: The Breaker

YYo gakki domo! Aqui é o Hiruma, sou novo aqui no AFS e estou começando a lançar reviews aqui no site. Como estou chegando agora, resolvi começar com uma obra que já foi comentada em alguns casts, mas não tem review publicada. Essa seria “The Breaker”, um manhwa. Manhwa é o nome dado aos quadrinhos coreanos, quem desenha ou escreve manhwa é chamado de manhwaga. A principal diferença entre manhwa e mangá é que manhwas são lidos na orientação ocidental, ou seja, da esquerda para a direita (apesar de que só consegui encontrar na orientação oriental quando procurei na internet). Os gêneros para manhwas são Sonyung (equivalente ao Shonen), Sonjeong (equivalente ao Shojo) e Tchungnyun (equivalente ao Seinen e ao Josei). Existem muitos manhwas no Brasil como Priest, Angry, Chonchu e Ragnarök e outros que não foram lançados aqui, mas já tem um nome grande devido aos jogos dos quais são adaptações como Grand Chase e Warcraft: The Sunwell Trilogy. Este manhwa possui uma continuação chamada The Breaker: New Waves, que não será abordada nessa review. GoomoonryongO que você faria se visse seu professor espancando um bando de malandros na rua? E se ele usasse o “Shoryuken”? (Calma, não se assustem. Ele não é o Ryu!). Esse, por incrível que pareça, é o início de uma história de 10 volumes que faz você pensar o que é a coragem e o que é o verdadeiro significado da força, mas isso em meio a muita comédia, drama e, é claro, muita pancadaria.

A História

Yi Shi-Woon é um garoto fraco e covarde aluno do primeiro ano do colegial que sofre bullying constantemente, ato praticado por Chang-Ho, um delinquente líder da gangue do colégio e seu colega de sala, mas isso muda depois do seu encontro com Han Chun-Woo o novo professor de inglês que, a primeira vista, parece um homem desleixado, mas na verdade é um grande mestre das artes marciais. No começo, Chun-Woo trata o garoto como um problema, pois ele está sempre tentando convencê-lo a ensinar artes marciais, até mesmo o chantageando. No entanto, depois de Shi-Woon mostrar sua verdadeira determinação ao pular de uma ponte quando lhe foi pedido (lol) e ter um ataque cardíaco por correr até o limite do seu corpo fraco, Chun-Woo resolve ensiná-lo artes marciais.

Nesse contexto, entra Shi-Ho Lee, a nova enfermeira do colégio, que trabalha juntamente a Goomoonryong (Dragão das Nove Artes), título dado àquele que conseguir dominar nove técnicas diferentes, título pelo qual Chun-Woo é conhecido e temido. Shi-Ho auxilia no treinamento de Shi-Woon cuidando e o alertando de sua saúde, pois ele sofre de um mau que faz com que seu sangue não circule de maneira correta, não prejudicando sua saúde no dia-a-dia, mas o impossibilitando de práticar artes marciais.

Shi-Ho

A pílula

“Escolha a pílula vermelha e você ficará no País das Maravilhas e eu te mostrarei até aonde vai a toca do coelho” by Morpheus ( The Matrix 1999 )

Illwalldan

Shio-Ho oferece uma pílula em que vários artistas marciais de alto nível concentraram seus ki’s e que curaria o estado de seu corpo, mas, devido à alta concentração de ki que seu corpo receberia, isso poderia mata-lo, lembrando que em The Breaker ki é energia espiritual ou energia interna, ou seja, nesse universo você não pode soltar um Kame-Hame-Ha ou Hadouken (desculpe fãs de DBZ e Street Fighter, mas, infelizmente, a vida é assim, ou não). Tomado pela determinação que tinha de mudar sua vida, Shi-Woon ingere a pílula e consegue se curar graças à ajuda de Chun-Woo que consegue suprimir os efeitos da Illwalldan. Após tomar a pílula o corpo de Shi-Woon se encontra num estado de acúmulo de uma exorbitante quantidade de ki que não é suportada por seu corpo fraco e, como consequência disso, ele ganha uma força sobre humana a ponto de fazer com que as palmas das próprias mãos sangrem quando serra os punhos. Essa pílula é também um item roubado da One Moon School, uma escola de artes marciais que também fabrica remédios e venenos, e é um dos estopins para os principais acontecimentos do manhwa.

O Murim

Murim é o mundo secreto das artes marciais (Não é muro baixo! ¬¬). As pessoas pertencentes ao Murim possuem poderes especiais e escondem sua existência com a ajuda do governo mundial e da Federação de Artes Marciais, pois a existência de pessoas com tais poderes poderia causar um abalo sísmico na sociedade. Chun-Woo recebeu o título de Goomoonryong após derrotar vários mestres no Sinmungjenpe, um encontro de artistas marciais do Murim, um após o outro, ato jamais feito na história, criando uma lenda. Isso causou a morte de seu mestre por ter sido levado a público o fato de que ele tinha repassado a Hyun-Chun-Ji-Gong (Técnica do Céu e Terra Negros), que é passada para Shi-Woon. Agora, Goomoonryong procura pelas pessoas do alto escalão do Murim, que mataram seu mestre, para ter sua vingança e se junta a um grupo que está tentando colocar os dois mundos, Murim e a sociedade normal, em guerra. Goomoonryong é considerado o maior Breaker do Murim. Breakers são membros do Murim que usam seus poderes na frente de pessoas normais ou atacam elas. Daí vem o nome do manhwa, The Breaker (Duh!).

Murim

Por que ler The Breaker?

The Breaker prende você no começo, meio e fim de três formas diferentes, no começo você é jogado no meio de um colegial com um garoto sofrendo bullying e um professor troll que além de não querer ensinar nada, é mulherengo e ainda fresca com a cara do aluno, se tornando, assim, um personagem bastante cômico e divertido de se acompanhar, no meio você acompanha o desenvolvimento de Yi Shi-Woon e o desenrolar da história que irá te levar a um final lotado de lutas de tirar o fôlego e um desfecho espetacular (Lembrando que não estou falando da segunda parte The Breaker: New Waves). Os personagens de The Breaker têm bastante personalidade (desculpe se ficou estranho xD) e uma variedade enorme delas contribuindo bastante para a diversão do leitor, desde o certinho e covarde Shi-Woon ao mulherengo, desleixado e ao mesmo tempo “awesome” Goomoonryong indo até a misteriosa e venenosa Shi-Ho, óbvio que existem muitos outros personagens, como o orgulhoso e perverso Chang-Ho e muitos outros que não foram citados (Leia para descobrir! Muahahaha).

TomeQuanto à arte, The Breaker é realmente espetacular, tanto os personagens, que têm traços muito distintos, um detalhamento impressionante na parte da musculatura, postura, técnicas, uma arte que não faz com que você se perca no meio das lutas e os desenhos chibis que são hilários só de olhar, como os cenários, que são muito bem detalhados e utilizados, com maestria, durante a história.

ChibiThe Breaker é uma obra surpreendente, mas também tem alguns defeitos, alguns personagens meio que perdem sua importância, ou melhor, sua visibilidade dentro da história, como o entregador Alex, um motorista que tem as técnicas de pilotagem quase iguais a de um deus, e Sae-Hee, que é a amiga de infância de Shi-Woon a quem ele deseja proteger das frequentes ameaças de Chang-Ho (Lembrando novamente que essa análise é apenas sobre a primeira série de The Breaker), durante algumas partes de perseguição de carros  e motos o cenário é substituído por efeitos de velocidade coisa que na minha modesta opinião é bem relevante, mas pode prejudicar a leitura devido a sensação de desorientação do leitor.

Conclusão

Concluindo, The Breaker é manhwa que vale a pena ler, comprar, idolatrar principalmente por aqueles que gostam de uma boa ação recheada de comédia e drama, é uma das minhas histórias favoritas (deu pra perceber neh?), que marcou a minha vida como otaku e apreciador de cultura oriental, e sei que marcará a de muitos de vocês também (ou não). Você pode achar The Breaker na Brazil Mangá Scanlator, que já é um parceiro aqui do AFS além de várias outras obras interessantes.

Notas de Rodapé

– Gostaria de agradecer ao meu amigo GuiGui por ter me apresentado essa obra maravilhosa. Sim cara… Goomoonryong é Goomoonryong. xD

– Gostaria de agradecer ao pessoal da AFS que está me dando essa oportunidade de postar minhas reviews aqui no site e espero ficar aqui por um bom tempo.

– Qualquer dúvida, crítica, xingamento, elogio (será?), se quiser me matar (Tenha dó! Sou apenas um pequenino newbie.), ou mesmo que  seja um comentário só mesmo, ou qualquer outra coisa é só escrever aí embaixo que eu vou tentar responder ou, no último caso, fugir.

– É! Copiei o template da Drih mesmo! Falo mesmo! Sou newbie poxa… me deixem ser feliz.

– Comentem! Se chegar a 200 comentários eu libero o lendário áudio do SKY bêbado no skype.

– YAA-HAAAAAAAAAAAAAAA!

Comente

Sobre Hiruma

12 Freaks estão discutindo o assunto. Participe Tambem.

  1. The Breaker não é meu manhwa preferido (prefiro um menos conhecido chamado Whitch Hunter, mas não vem ao caso), mas mesmo assim não tem como não destacar a qualidade. The Breaker apresenta um mundo que é verossímil dentro de sua realidade de forma que não trata o leitor como criança. Mesmo assim, as lutas, a história e o carisma dos personagens prendem também quem é mais jovem. Essa fórmula faz com que o público desse manhwa seja bem extenso, o que não é pra menos, ele faz por merecer. Sua análise ficou bem completa, passando o mundo de The Breaker com um baixo teor de spoiler, conseguiu colocar em palavras muito bem o que é o manhwa e ainda conseguiu ser rico em informações. Parabéns e continue assim.

Grita Aqui!

Or

O seu Email não será publicado.Campos Obrigatorios estão marcados. *

*