Seiji: o Fã, a Idade e a Insônia (-_-)

Envelhecer nao é exatamente uma tarefa simples. As obrigações da vida pessoal aumentam, e as responsabilidades vão surgindo aos montes. O tempo acaba se tornando um inimigo, e você se acomoda a uma certa rotina na sua vida. Assim, as coisas cotidianas se tornam muitas vezes tediosas. Essa rotina que se reveza entre períodos de ócio e atividades bitoladas pode virar um desespero, ainda mais numa sociedade corrida em que o trabalho é o mais importante de tudo, e o lazer é algo que se torna ínfimo. E para um otaku, crescer e envelhecer às vezes significa perder algo mais importante, o apreço por algo que marcou muito a infância de todos, o gosto pelos animes e mangás. Por isso que às vezes as conversas nostálgicas se tornam empolgantes e preciosas. O AFS me fez esse favor de quebrar essa minha rotina tediosa, e deu um novo jeito de relembrar e gostar ainda mais de animes, dessa vez com um algo mais, a idéia do podcast. Por isso quero compartilhar esse meu depoimento com todos vocês.

Eu ainda lembro do dia que eu conheci o site. Na verdade eu conheci o podcast antes, isso porque meu amigo me passou o cast 22, Otaku Stage, e aproveitou e me passou os casts 39 e 40. Eu nem sabia o que era um podcast. Ouvi e acabei me viciando na hora.

Uma vez encontrado o site, ouvi mais alguns casts, gostei e decidi baixar tudo e ouvir. Fiquei mais viciado ainda. Em menos de uma semana consegui ouvir todos os casts, e fiquei dias e dias reprisando os casts, ouvindo sempre cada vez mais e mais (Na verdade faço isso até hoje). Como poderia existir tal coisa, com tamanha qualidade e eu preso na minha rotina sem saber disso? Nunca me perdoei, e me arrependo por ter perdido tantos momentos incríveis que descubro ouvindo histórias dos participantes mais antigos.

Infelizmente, só conheci o site quando o notebook do Sky já estava agonizando, ou seja, sem condições para gravar podcasts. Assim, o último cast lançado que tinha conhecido foi o cast 43, Katekyo Hitman Reborn parte 3, e os casts só voltariam 6 meses depois. Esse período que foi conhecido como “o período das trevas do site”, foi a época em que mais nenhum podcast foi lançado até que o Sky comprasse um novo PC e o novo site estivesse programado. Contudo, o site antigo, o 4.0, ainda se mantinha no ar com algumas atrações como o Caixa Preta, o Afro in Box e algumas colunas.

Logicamente, eu sem saber como estavam os bastidores, estava com a esperança de que o podcast pudesse voltar o mais rápido possível. Após ouvir todos os podcasts, pensei em várias idéias (ainda sou uma pessoa cheia de idéias, e acho q isso é um dos motivos que me causam insônia até hoje XD). Lembrei de ouvir em alguns casts que qualquer um poderia mandar email para o site, e se quisesse sugerir uma pauta. Mandei um email com uma idéia, uma pauta de animes de esportes (que posteriormente converti para uma matéria). A Lady Yuraa leu e imediatamente respondeu no seu email pessoal. Foi a primeira pessoa da Staff que eu conheci e já foi muito gentil comigo (talvez ela nem se lembre disso). Daí pensei, se alguém da staff já é assim, imagina como deve ser o restante. É como dizem, a primeira impressão é a que fica, e para mim foi muito agradável.

Daí eu entrei em contato também com o Sky via Skype, mas o notebook dele já tava um lixo, pois não agüentava segurar uma chamada. Aliás, eu nem sabia usar direito o skype, já que tinha usado apenas uma vez por motivos de trabalho. Tá certo que eu também já tinha lido alguns textos do Kiba, comentado em um deles, além de também já comentar em alguns Caixa Pretas e Afro in Box, mas ainda não era o suficiente para me integrar com a galera.

Então, em um dia de puro ócio, eu que já tinha reparado na Shoutbox, decidi criar coragem e entrar nela. Pensei que não tinha nada a perder, quem sabe as pessoas de lá também sejam legais. Dia 5 de Outubro, Terça-Feira, ainda me lembro muito bem, foi o primeiro dia que entrei na shout. Naquele dia, o Tio Panda tinha lançado a review dele de Dragon Zakura. Daí tinha muitos assuntos no dia para conversar, e vi como era divertido a shoutbox. Como esperado, conheci muitas pessoas legais. Os primeiros que conheci foram a Fer e o Tio Panda (os reis da Shoutbox) que vivem me chamando de ermitão >_<, e logo em seguida também conheci a Drih, o Kiba, o Mugi, o Rodz, o Rafa, o Reed, o Jon, a Jess entre várias outras pessoas incríveis.

Descobri histórias maravilhosas como eles acompanhando a copa do Mundo, os emails do grupo, o fascínio por Kotonoha-sama (a deusa suprema da Shoutbox), o namoro do Panda e da Fer (eu até escrevi um Dorama não publicado disso) e a melação dos dois que acompanhava todos os dias ^^. Entre tantos momentos que aconteceram, teve dias que só havia trocas de músicas que estávamos ouvindo, podcasts que ouvíamos em conjunto, comentar notícias do dia, passar vídeos e imagens engraçados, entre muitas outras coisas para animar o ambiente. Eu até consegui inspiração para criar o Kotonoha-sama facts e a Lista de Ministros dos Animes em forma de coments (e posteriormente viraram colunas). Tudo isso aconteceu dentro da Shoutbox. Foi uma época muito boa, e que lembrando disso tudo é algo nostalgiante. Com o passar do tempo fiz amizade com a galera, e mais ainda, conheci mais e mais pessoas sejam elas Staff, fãs ou leitores curiosos. Amizades de todos os lugares que antes eu pensava ser inimaginável, hoje é uma realidade.

Logicamente a vida tem seus altos e baixos, e de tantos momentos de raiva que senti durante a minha rotina, não sei porque a Shoutbox me acalmava. Talvez eu saiba, é o conforto de ter pessoas que vão me ouvir, me aconselhar e que também vivem algumas das mesmas situações que as minhas, especialmente por termos os mesmos gostos, o apreço pela cultura otaku. Talvez seja como eu sempre digo, a Shoutbox é melhor que terapia. Compartilhei muitas informações com pessoas que nunca tinha conhecido pessoalmente, e ouvi opiniões prudentes, de respeito. Talvez não seja a Shoutbox em si que tivesse esse efeito mágico, mas sim as pessoas que acessavam ela. E sem perceber, isso acabou se tornando parte da minha vida. Graças à Shoutbox, eu até consegui participar do primeiro encontrão, a versão Beta, que foi na primeira vez que a Fer veio para São Paulo. Daí o pessoal viu o meu rosto e eu vi o rosto da galera. Foram dias divertidos passeando sábado na Liberdade, domingo no Karaokê e até na segunda-feira que a gente foi num evento em Osasco, porque era num feriado de 15 de Novembro. Dessa forma conheci pessoalmente o Panda, a Fer, o Mugi, o Jin, o Rodz, a Karina, o Kiba, o Daileon, o Hideki, o Alchemist,o Jon, a Juuh, o Dih, a Yuuhi entre várias outras pessoas legais.

Entretanto, somente ser fã, leitor, ouvinte e conversar com o povo também já não era mais suficiente para mim (eu sei, eu sou chato XD). Além de interagir com a galera via Shoutbox e também pelo Skype, eu precisava de algo mais, precisava participar de toda essa bagunça que de uma certa forma me dava inveja. A Drih, o Panda e a Fer já faziam parte da Staff. Tudo isso foi se acumulando até que um dia surgiu a grande oportunidade, graças à criação do Departamento Editorial do site. Nesse momento, o site que estava no período das trevas, sem podcasts, estava procurando por colunistas, principalmente de reviews para não deixar o site parado. Essa notícia foi postada na matéria: “Wanted – procura-se colunistas”. As instruções estavam lá no post, que era enviar um texto para análise e uma entrevista feita por Skype. Eu me candidatei, já tinha enviado meus textos para serem analisados, e fui aceito para fazer o teste. Para não perder essa chance, acabei enviando 3 textos. A Fer queria me matar porque ela teria que revisar um arquivo de 6 páginas. Mero engano, eram 3 textos de 2 páginas cada um, dentro de um único arquivo, por isso tinha 6 páginas. Acho que tinham mais de 12 pessoas disputando uma única vaga.

Chegou o dia da entrevista, todos do teste estavam num chat de espera, e cada um era chamado por vez. Isso foi no dia 23 de Outubro de 2010, sábado, com início às 16:00 (eu anotei no meu fiel caderninho). Todos davam seus comentários de como tinham ido até que chegou a minha vez. A banca estava composta pelo Marcos, Goezinho, Mugi, Kiba, Rodz e o Tio Panda que foi o principal entrevistador na minha vez. A entrevista foi longa, durou mais de 15 minutos (depois eu soube que teve entrevistas que não duraram nem 5 minutos). Aquilo na verdade foi uma sabatina, parecia que eu tava no Roda Viva, sendo questionado por todos os lados a todo instante. Senti-me pressionado, e foi uma situação meio aflitante. Será que gostaram de mim? Será que não? Eles gostaram dos meus textos? Eu estava nervoso? Falei coisa que não devia? Parecem coisas irrelevantes para poder ser apenas um simples colunista num site de animes, para mim era uma oportunidade bem interessante. Semanas depois saiu o resultado da seletiva. Fui aprovado, mas ao invés de somente um colunista, entraram 3: eu, o Alchemist e o Pandaman, todos designados inicialmente para fazerem reviews.

Nunca tinha participado como staff em nenhum tipo de site, e nunca tinha escrito nenhum tipo de coluna,matéria ou review, principalmente de animes. Na minha vida sempre fui mais sistemático e escrevia textos mais técnicos, artigos dentre outras coisas que pedem um padrão e formato fixo. Daí, escrever algo com um padrão não fixo, com liberdade da escrita parecia algo desafiador. Em todo caso, sempre pensei que participar do AFS fosse algum aprendizado que poderia ganhar e por enquanto o resultado está sendo positivo, pois fiquei viciado no WordPress e aprendi HTML fuçando (nunca li nenhuma apostila de HTML na vida) e ainda tento usar novas formas de usar ele: imagens, tabela, álbuns, vídeos, playlist, etc.

Desde então, minha vida com o AFS ficou mais interessante. Acompanhei os baixos do site, quando o site teve que ficar fora do ar, para implementar o novo layout e estávamos somente com um programador. Aliás, abraços ao Guilherme que suou muito para conseguir fazer o site funcionar, o cara trabalhou muito!! Eu testemunhei isso! Acompanhei também os momentos que o Sky teve que usar o netbook do primo para tentar se comunicar porque seu antigo notebook morreu, quando ele conseguiu comprar o novo notebook e depois fez o site voltar com o novo layout que ele tinha na cabeça. E ainda sofre para pagar o notebook novo. Agora acompanho os momentos de reafirmação do site, a volta dos Podcasts, Caixas Pretas, Afro in Box, as novas atrações desse ano, e as colunas que voltaram com força total. Tudo isso acaba fazendo parte de um processo, que espero que o site ganhe um status mais elevado, conseguindo mais fãs, e melhor do que isso, amigos.

E é como eu digo, o AFS é como uma família, brigamos muitas vezes, na verdade constantemente, trollamos uns aos outros, mas no final a gente sempre se ajeita. De momentos felizes, a momentos tristes, tudo se tornou uma mistura de emoções durante esse período. E mesmo eu tendo testemunhado pouca coisa em relação aos demais membros da Staff, ainda assim é um bom lugar para estar presente, trabalhar e ajudar. E que venham mais e mais anos de AFS. Isso é um desejo dos fãs e também meu desejo, afinal de contas, Staff antes de tudo também é fã.

Abraços a todos o/, busquem conhecimento ^^ e com licença, vou me retirar porque o velhinho aqui está com sono (-_-) e ele quer descansar.

PS1: Abraços ao povo do chat do MSN
PS2: Abraços ao povo do Skype
PS3: Abraços ao povo q freqüentou a Shoutbox
PS4: Abraços aos Leitores Fãs do Site
PS5: Não perca, Domingo (22/05) texto especial de encerramento dessa semana de aniversário e a conclusão da nossa historinha o/
PS6: zzzzz

Comente

Sobre Anime Freak Show

Durante esses mais de 3 anos, muitas pessoas passaram pelo site, algumas não estão mais, mas suas postagens continuam aqui!

33 Freaks estão discutindo o assunto. Participe Tambem.

  1. Legal saber como o pessoal entrou pro AFS

Grita Aqui!

Or

O seu Email não será publicado.Campos Obrigatorios estão marcados. *

*